escort ankara bayan escort bayan ankara escort bayan bayan escort ankara escort bayan ankara

A Tentação de Jesus
 

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

A Tentação de Jesus

Pastor Paulo Marcio de Moraes Cirelli

"Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo. Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados." (Hb 4.15 e 2.17 e 18).

Jesus foi tentado em tudo, porém não pecou. Ele experimentou o poder da tentação, e assim foi preparado para o Seu serviço sacerdotal de socorrer aos tentados.

Quem nos tenta é Satanás, que nos rodeia. O pecado está no mundo e também em nosso coração. Por isso, todos nós somos tentados. Jesus não tinha pecado em Si, mas foi tentado por Satanás.

O procedimento que temos diante da tentação revela o nosso caráter: "... porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente." (I Jo 2.16,17).

Sabemos que concupiscência é desejo. Aprendemos que há desejos (apetites) da carne, desejos (materialismo avarento e transitório) dos olhos e orgulho de uma vida sem Deus.

Três coisas muito perigosas que precisamos nos afastar delas. Como? Fazendo a vontade de Deus. A obediência sempre nos leva a bons resultados. Para obedecer é preciso conhecer, se relacionar, confiar. Olhemos para Jesus:

1. Antes de ser tentado Ele ouviu a palavra de Deus, o Pai, que disse: "Este é meu filho amado, em quem tenho prazer." Mt 3:17 Jesus confiou nestas palavras.

2. Jesus foi conduzido ao deserto, para ser tentado. Ele confiou na direção do Espírito.

3. No jejum de 40 dias, Ele se entregou ao poder de Deus para O sustentar. Ele confiou que sem comer, não morreria.

Percebemos um comportamento de confiança e fé. Em cada tentação, o inimigo propôs a Jesus o agir independentemente de Deus, e isso é o caráter principal de todo o pecado.

Jesus abriu mão de desejos da "carne" e dos "olhos" e sujeitou-Se totalmente a Deus o Pai, sem duvidar que seria sustentado e que também seria vencedor. Por isso Ele é para sempre nosso Sumo-Sacerdote e pode nos socorrer em nossas tentações.

O exemplo de Jesus é fundamental para seguirmos e praticarmos. Fazer a vontade de Deus e obedecermos sua palavra.

Deus é bom!

Você está aqui: Devocionais Pr. Paulo M. Cirelli A Tentação de Jesus