escort ankara bayan escort bayan ankara escort bayan bayan escort ankara escort bayan ankara

Viagem missionária
 

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Viagem missionária

                Em janeiro de 2011 completamos 7 anos da viagem missionária que Suzete e eu fizemos à Suíça. Permanecemos fora do Brasil 94 dias. Fomos a convite do nosso amigo e pastor Roberto Justino que dirige uma igreja em Genebra.

                Foram dias especiais vividos em uma terra distante com um povo de costumes e língua diferente. Muitas dificuldades para se pregar o evangelho. O povo suíço é um povo próspero e com uma qualidade de vida comparada a uma das melhores do mundo. Estão satisfeitos e não precisam de nada. É importante registrar que em Genebra foi o lugar que melhor funcionou a reforma protestante proclamada na Alemanha por Martinho Lutero em 1516 e seguida com brilhantismo por Calvino em terras suíças.

                Hoje não se vê a fé que foi semeada, muito pelo contrário, o povo está bem distante da vida espiritual outrora pregada e vivida ali naquele lugar. Nos dias que estivemos lá era possível ver grandes cartazes (out-door), com dizeres “Desbatize-se”.

São muitos os estrangeiros que vão trabalhar em Genebra, principalmente portugueses e brasileiros. A cidade é cosmopolita e recebe a todos. Sede mundial da Organização das Nações Unidas, da Organização Mundial da Saúde, Cruz Vermelha, Organização Mundial do Comércio. A Suíça figura entre os mais importantes centros bancários internacionais. Com a maior renda per capita do mundo, a população desfruta de alto padrão de vida, é exemplo de convivência pacífica entre os diferentes povos e culturas. Tem um parque industrial muito forte no ramo de relojoaria, químico, farmacêutico e de alimentos, especialmente chocolate e laticínios.

                Neste período participamos de 50 cultos, 25 reuniões de oração, fizemos 30 visitas pastorais, ministramos um curso para obreiros e vimos 7 conversões para a glória do Senhor. Vimos muitos testemunhos e milagres que só enriqueceram nossa experiência como cristãos.

                Moramos em uma pensão e tivemos momentos muito difíceis. Trabalhamos e moramos três dias em uma casa de família como serviçais e babás de 6 crianças. Fizemos por amor, pois a esposa estava grávida e com muitos problemas. O marido, dono de um restaurante, trabalhava das 9 da manhã às 2 ou 3 da madrugada sem descanso. Valeu a pena pelo testemunho que o Senhor permitiu que déssemos.

                Fizemos muitas amizades e tivemos bons momentos com Deus.

                Vimos a necessidade que o povo europeu tem de Jesus e estão muito distantes da fé que deveriam ter Nele. Neste lugar se tem a exata noção do que é “negligenciar tão grande salvação”. Hb 2.3

                Vimos também um pouco da vida de missionário e suas necessidades.

                Nossa oração é que a Suíça se volte para Deus e que os missionários e pastores continuem a obra de Cristo e que possam contar com o apoio das igrejas que os enviam.

                Deus é bom!

Em janeiro de 2011 completamos 7 anos da viagem missionária que Suzete e eu fizemos à Suíça. Permanecemos fora do Brasil 94 dias. Fomos a convite do nosso amigo e pastor Roberto Justino que dirige uma igreja em Genebra.

Pr. Paulo Cirelli

Em janeiro de 2011 completamos 7 anos da viagem missionária que Suzete e eu fizemos à Suíça. Permanecemos fora do Brasil 94 dias. Fomos a convite do nosso amigo e pastor Roberto Justino que dirige uma igreja em Genebra.

Foram dias especiais vividos em uma terra distante com um povo de costumes e língua diferente. Muitas dificuldades para se pregar o evangelho. O povo suíço é um povo próspero e com uma qualidade de vida comparada a uma das melhores do mundo. Estão satisfeitos e não precisam de nada. É importante registrar que em Genebra foi o lugar que melhor funcionou a reforma protestante proclamada na Alemanha por Martinho Lutero em 1516 e seguida com brilhantismo por Calvino em terras suíças.

Hoje não se vê a fé que foi semeada, muito pelo contrário, o povo está bem distante da vida espiritual outrora pregada e vivida ali naquele lugar. Nos dias que estivemos lá era possível ver grandes cartazes (out-door), com dizeres "Desbatize-se".

São muitos os estrangeiros que vão trabalhar em Genebra, principalmente portugueses e brasileiros. A cidade é cosmopolita e recebe a todos. Sede mundial da Organização das Nações Unidas, da Organização Mundial da Saúde, Cruz Vermelha, Organização Mundial do Comércio. A Suíça figura entre os mais importantes centros bancários internacionais. Com a maior renda per capita do mundo, a população desfruta de alto padrão de vida, é exemplo de convivência pacífica entre os diferentes povos e culturas. Tem um parque industrial muito forte no ramo de relojoaria, químico, farmacêutico e de alimentos, especialmente chocolate e laticínios.

Neste período participamos de 50 cultos, 25 reuniões de oração, fizemos 30 visitas pastorais, ministramos um curso para obreiros e vimos 7 conversões para a glória do Senhor. Vimos muitos testemunhos e milagres que só enriqueceram nossa experiência como cristãos.

Moramos em uma pensão e tivemos momentos muito difíceis. Trabalhamos e moramos três dias em uma casa de família como serviçais e babás de 6 crianças. Fizemos por amor, pois a esposa estava grávida e com muitos problemas. O marido, dono de um restaurante, trabalhava das 9 da manhã às 2 ou 3 da madrugada sem descanso. Valeu a pena pelo testemunho que o Senhor permitiu que déssemos.

Fizemos muitas amizades e tivemos bons momentos com Deus.

Vimos a necessidade que o povo europeu tem de Jesus e estão muito distantes da fé que deveriam ter Nele. Neste lugar se tem a exata noção do que é "negligenciar tão grande salvação". Hb 2.3

Vimos também um pouco da vida de missionário e suas necessidades.

Nossa oração é que a Suíça se volte para Deus e que os missionários e pastores continuem a obra de Cristo e que possam contar com o apoio das igrejas que os enviam.

Deus é bom!

Você está aqui: Devocionais Pr. Paulo M. Cirelli Viagem missionária